Polinização é o processo de reprodução das plantas. No qual as abelhas, entre outros animais, transportam os grãos de pólen dos estames machos, para a parte feminina do estigma das flores, possibilitando assim a produção de sementes e frutos.

Tipos de polinização

  1. Anemófila: É a forma mais comum de polinização abiótica, é a polinização pelo vento. As flores que são polinizadas pelo vento, e ocorrem em árvores como carvalho, salgueiro, faia ou amieiro.
  2. Hidrófila: É a polinização por água e ocorre em plantas aquáticas como eles liberam pólens diretamente no meio da água circundante. Nem todas as plantas aquáticas são polinizadas por água, a maioria delas tem flores acima da superfície da água e são polinizadas por vento ou insetos.
  3. Zoófila: É realizada por vertebrados como pássaros e morcegos. Plantas que são polinizadas por morcegos e mariposas geralmente têm pétalas brancas e um cheiro forte.

 

Importância das abelhas

Hoje, no planeta, existem cerca de 20 000 espécies de abelhas que serão responsáveis ​​pela fertilização de inúmeras flores e plantas. As abelhas são os seres mais eficazes, importantes e benéficos para as plantas, pois constituem 80% da polinização mundial. O trabalho desses pequenos insetos vai muito além de polinizar e produzir mel, porque a contribuição em termos econômicos é realmente significativa, dado que um terço da agricultura mundial é diretamente beneficiado.

Pequenos insetos grandes benefícios

As abelhas cumprem duas funções muito importantes nos ecossistemas, fazem parte da produção de alimentos e também são vitais para a biodiversidade. Daí a necessidade de promover e apoiar sua educação sustentável; É vital ajudar a criar habitats favoráveis, controlar naturalmente as pragas e usar produtos ecológicos para sua conservação.

Como podemos ajudá-las?

Nas últimas décadas, observamos uma queda maciça de abelhas, o que é muito preocupante se pensarmos nas conseqüências que isso pode causar a longo prazo, de acordo com o exposto. Então, devemos minimizar o uso de pesticidas ao máximo e, desta forma, não afetar as abelhas. Além disso, podemos contribuir para a conservação de espaços naturais protegidos onde as abelhas podem viver sem os efeitos causados ​​pela atividade humana.

Daniela Parra 
Digital Content Analyst